Tem salada no prato das crianças?

192

A gente sabe que não é fácil convencer uma criança a comer menos doce e colocar mais verduras e legumes no prato. Saiba como mudar isso sem drama

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Seu filho pode perder mais peso e de forma mais rápida se você mudar a alimentação e a rotina de toda a família
“Que garota fofinha!” Esta frase é comum e as pessoas ainda acham o máximo quando veem uma criança mais rechonchuda. “Mas essa visão pode confundir os pais, por isso vivemos reforçando que ser gordinho não significa ter saúde”, diz a pediatra Célia Regina Bocci Silva, de São Paulo. Não é à toa que o excesso de peso na infância seja um problema que preocupa os especialistas: uma em cada três crianças entre 5 e 9 anos está acima do peso no Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Se o seu filho também faz parte dessa turma, veja que atitudes tomar para ajudá-lo.

Por que a Obesidade faz mal à criança

· Na saúde

“O excesso de peso na infância pode causar pressão alta, diabetes, problemas respiratórios e até fazer a criança entrar na puberdade antes da hora ”, afirma Célia
Regina.

· Na personalidade

A criança acima do peso se sente insegura, sofre de ansiedade e tende a se isolar. Pode ser vítima de bullying, ouvindo piadinhas e ganhando apelidos maldosos.

Hábitos que ajudam seu pequeno a chegar lá

1. Escute o pediatra e faça dele seu aliado

O médico que acompanha o desenvolvimento de seu filho desde bebê é a pessoa mais indicada para propor mudanças na alimentação e na rotina da criança, caso ela esteja acima do peso. Ele ainda avalia com a família se há necessidade de procurar um psicólogo ou um nutricionista para dar orientações mais específicas. “O pediatra pode auxiliar a esclarecer as causas da obesidade em conjunto com os pais e com a criança e estabelecer se há necessidade de acompanhamento de um especialista”, explica a pediatra.

2. Garanta uma dieta saudável e variada

“A recomendação do Ministério da Saúde é o consumo diário de três porções de frutas e três porções de legumes e verduras”, lembra a médica. O indicado é variar os alimentos nas refeições ao longo da semana. Essa é a melhor forma de conseguir uma boa nutrição (cada alimento contribui com nutrientes diferentes) e também de manter o interesse da família por pratos saudáveis. Enjoa comer sempre a mesma coisa! Os pais devem dar o exemplo, comendo de tudo, mas sem exagerar nas porções. “A criança repete o comportamento dos pais. Se eles não comem verduras e frutas será difícil estimular a criança a se alimentar corretamente”, afirma.

3. Dê comida na hora certa e deixe as guloseimas longe

Não permita que seu filho pule refeições ao longo do dia. Assim, ele não vai exagerar na hora de sentar e comer. Também é importante evitar salgadinhos, refrigerantes e sucos de caixinha nos intervalos entre as refeições. Melhor ficar com as frutas e outras opções mais saudáveis, como barrinhas e sanduíches com queijo magro, por exemplo. Para evitar as escapadelas, melhor nem ter guloseimas na despensa.

4. Ofereça muita água

“Evite que a criança adote o costume de tomar bebidas açucaradas. A água, além de não engordar, melhora o metabolismo e o funcionamento do intestino”, orienta a pediatra.

5. Estimule o hábito de brincar

As crianças de hoje passam horas diante da televisão ou do computador e acabam gastando pouca energia. Fale para seu filho brincar de queimada com a turma do bairro ou andar de bicicleta na praça. Se não puder ficar com ele sempre, combine com as vizinhas um rodízio para supervisionar a molecada na rua.

Via: M de Mulher