Estrias! Saiba quais as causas, os tratamentos e como evitar

95
Google Imagens

A puberdade, a gravidez, o efeito “sanfona” e o uso de corticóides em altas doses por tempo prolongado são fatores que contribuem para o surgimento das tão indesejadas estrias. As estrias são lesões irreversíveis, mas existem alguns tratamentos que melhoram a sua aparência, entretanto mais importante que tratar é prevenir.”

O que são?

A pele apresenta três camadas, sendo a derme a camada intermediária. Na derme nós produzimos colágeno e elastina que são responsáveis pela sustentação e elasticidade da pele. As estrias aparecem quando há ruptura das fibras de colágeno e elastina da pele que ocorrem por sua distensão exagerada ou devido a alterações hormonais.

As estrias são lesões lineares como uma espécie de cicatriz, geralmente paralelas, que podem variar de 1 a vários centímetros de extensão. Surgem principalmente nas coxas, nádegas, abdome (gravidez) e dorso do tronco (homens), podendo ocorrer também nas pregas axilares (doenças endócrinas). Inicialmente as lesões são avermelhadas ou róseas evoluindo mais tarde para uma tonalidade esbranquiçada. Em pessoas de pele morena as estrias podem ser mais escuras que a pele sadia. A pele na área afetada tem consistência frouxa.

Quais as causas?

Existem vários fatores envolvidos no aparecimento das estrias, como fatores hormonais e predisposição genética, crescimento acelerado, ganho de peso e efeito “sanfona” e medicamentos.

É comum o surgimento durante a puberdade em decorrência do crescimento acelerado nesta fase da vida e da elevada produção de estrógeno e progesterona. O crescimento muito rápido que ocorre nesta fase não permite que a pele se adapte ao novo contorno do corpo, fazendo com que as fibras de sustentação da pele se rompam. É o que ocorre também na gravidez. Gestantes que engordam mais quilos do que os recomendados pelos médicos podem ter estrias, sendo muito importante também a predisposição genética.

A responsabilidade pelas estrias pode ser também atribuída ao fenômeno do “engorda-emagrece”, em busca da linha perfeita com dietas restritas alternadas por sessões de abusos alimentares. O que ocorre nestas situações é que ao engordar a pessoa acumula gorduras nas zonas críticas – nádegas, coxas, seios, ventre – fazendo com que as fibras de colágeno e elastina se estiquem, rompendo-se eventualmente. Quando se dá o emagrecimento, a pele já está irremediavelmente lesionada, perdendo firmeza e ficando as estrias ainda mais evidentes. Continue Lendo.


FONTE: DermaWeb