Atitudes sustentáveis para adotar no dia a dia

100
Atitudes Sustentáveis
Imagem Divulgação

Se não fizermos nada para desacelerar o atual processo de degradação ambiental, vamos comprometer – e muito – a vida dos nossos filhos. Isso é fato. Mas, afinal, será que existe algo que cada um de nós possa fazer para colocar um freio nessa história? Sim. E para isso não precisa ser um “verde de carteirinha”. Descubra como:

Qual a procedência do que você compra?

De nada adianta trocar sacolas plásticas por uma “ecobag” se ela for feita no Vietnã. “Será que o custo energético do transporte não anularia o benefício de sua utilização?”, pergunta a jornalista Amélia Toledo, que pesquisa as relações entre design, inovação e sustentabilidade. Para escolher entre produtos, ela recomenda adotar um conjunto de critérios que inclua durabilidade e adequação ao uso. “Design sustentável é aquele que usa menos matéria-prima, processos industriais e energia”.

Xô, descartáveis!

Coador de pano, sacola de pano. Introduzi-los em sua rotina não requer nenhuma grande mudança. Melhor, você produz menor quantidade de lixo. Vale lembrar que, no trabalho, desconsidere os copos descartáveis. Vá de caneca.

Reduzir o consumo de água e energia: é possível!

Regrinhas fáceis para reduzir o consumo de luz e água em casa: mantenha as instalações elétricas em dia; use ferro a vapor e acumule roupas para passar de uma vez só; pinte as paredes de cores claras, que refletem luz; use lâmpadas fluorescentes ou de vapor de sódio; desligue o monitor do computador quando parar de trabalhar; ensaboe toda a louça antes de ligar a torneira elétrica; faça xixi no banho.

Reciclagem
Imagem Divulgação

Sabe aquela fruta da estação?

É a escolha mais sábia Transportar alimentos por longas distâncias gera mais poluição do que trazê-los de perto; manter comidas em freezer ou estufa consome mais energia do que conservar alimentos frescos por poucos dias.

Experimente consertar, trocar ou doar

Pense bem: é mesmo necessário trocar o celular porque um modelo novo chegou ao mercado? “É importante ser eficiente no uso das coisas, consertando-as quando preciso. Estamos transformando bens permanentes em bens descartáveis”, afirma Azevedo. Mais: antes de se desfazer de algo, considere alternativas como feiras e sites de troca. Ou destine a quem precisa: de livros e móveis a eletrônicos, sempre há uma instituição disposta a receber doações.

Dê uma chance para os alimentos orgânicos

Sim, eles são, por enquanto, mais caros e, em alguns casos, mais difíceis de achar do que o fruto da agricultura e da indústria regulares. Mas vale a pena desembolsar mais e sair em busca de feiras e mercados que comercializem produtos naturais. O cultivo de alimentos sem agrotóxicos ou pesticidas envolve um manejo mais racional dos ciclos da terra e de resíduos; alimentos não processados – açúcar mascavo, sal marinho, arroz e farinha integrais – poupam a energia do processo industrial.

Fonte: M de Mulher