Organização Mundial de Saúde publicará experiência de Guarulhos

30
Imagem Divulgação

A experiência de Guarulhos na implantação do programa internacional Saúde Urbana fará parte de uma publicação da Organização Mundial de Saúde (OMS). Até a próxima terça-feira (2), a fotojornalista dinamarquesa contratada pela OMS para documentar o programa, Anna Kari, visita as unidades de saúde e comunidades colhendo depoimentos da população guarulhense. Além de Guarulhos – a única cidade das Américas a integrar esse relatório -, participam outras seis: Londres, Jacarta (Indonésia), Cairo (Egito), Manila (Filipinas) e Iaundê (Camarões).

O projeto vem sendo desenvolvido no município desde 2009 e visa testar uma ferramenta de avaliação da equidade de saúde urbana, detectando e definindo os fatores que contribuem para as desigualdades na qualidade de vida das comunidades. A partir daí, busca estratégicas e intervenções intersetoriais a serem desenvolvidas para combater as condições de desigualdades intraurbanas e obter a melhoria da saúde e da condição social das pessoas.

Entre ações intersetoriais adotadas no município, estão as atividades físicas para hipertensos promovidas pelas UBS, acompanhamento do desenvolvimento infantil e saúde bucal das crianças beneficiadas pelo programa Bolsa Família, terapias comunitárias (como artesanato, horta comunitária, atividades artísticas e culturais e Baile da Saúde), oficinas de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST/Aids) e de prevenção de acidentes, capacitação de Conselhos Gestores, oficinas de alimentação saudável (cozinha alternativa), entre outras.

O prefeito Sebastião Almeida, que recebeu a fotojornalista da OMS em seu gabinete na última sexta-feira, dia 26 de fevereiro, destacou que a saúde deve ser encarada com interface nas diversas áreas. “O município pensa a saúde não apenas focando a doença como um processo único, mas levando em consideração os determinantes sociais, econômicos, culturais que interferem na qualidade de vida e bem-estar social da população. O lazer, o esporte, a cultura, o meio ambiente contribuem para promoção da saúde como um todo”, afirmou.

Para a fotojornalista, que já trabalhou em revistas e jornais estrangeiros como a Times, o Le Monde, The Guardian, entre outros, o trabalho dos agentes comunitários de saúde do Programa Saúde da Família (PSF) chamou sua atenção. “Comparando o serviço de saúde nas cidades que conheço, percebo aqui o grau de envolvimento dos agentes de saúde com a comunidade. É impressionante que esses agentes conheçam as pessoas, seus problemas e até lembram aos pacientes de retornarem às consultas médicas e de marcarem seus exames”, explicou.

A política da gestão participativa adotada pela Secretaria Municipal de Saúde foi também lembrada pela secretária-adjunta de Saúde, Teresa Pinho.

FONTE: Assessoria de Imprensa – Secretaria de Comunicação de Guarulhos