Mais de 200 crianças participam de plantio no Teatro Padre Bento

83
Plantio no Teatro Padre Bento

O Teatro Padre Bento ganhou 46 árvores nativas nesta sexta-feira (12). O plantio foi realizado no entorno do teatro por mais de 200 alunos da rede pública de ensino, com idades entre 6 e 15 anos, após palestra do Programa Ilhas Verdes (PIV) sobre a importância da arborização para o equilíbrio das condições ambientais e para a manutenção do clima nas zonas de calor.

O plantio faz parte de uma compensação ambiental que visa substituir duas figueiras removidas em julho deste ano devido ao risco de queda iminente após a infestação de pragas urbanas.

O plantio coletivo mobilizou crianças e adolescentes das escolas João Álvares de Siqueira Bueno, Coronel Ary Gomes e da ONG Água e Vida – organização que desenvolve oficinas de teatro, esporte e dança fora do período escolar. Entre as espécies plantadas estão o ipê-amarelo, pata-de-vaca, acerola, quaresmeira, sibipiruna, pitanga, aroeira-pimenteira, araçá, pau-formiga e dedaleira.

“O Programa Ilhas Verdes já possibilitou o plantio de aproximadamente 50 mil árvores em três anos de existência, e a previsão é de plantar 20 mil até dezembro”, afirmou a palestrante do PIV, Patricia da Silva Matildes.

Outras 50 árvores serão plantadas, até o fim de agosto, dentro do terreno do Complexo Hospitalar Padre Bento, ao longo do muro do hospital, onde a Secretaria de Meio Ambiente já plantou 20 árvores nativas das espécies pau-brasil, ipê, quaresmeira, manacá e pau-ferro, para compensar a remoção de 16 árvores que estavam na calçada.

De acordo com o gerente da Divisão de Arborização, Wander Castro Matin, a supressão aconteceu devido à necessidade de adequar o piso e o calçamento para melhorar a acessibilidade de cadeirantes, pessoas com deficiência física e idosos, e por causa da interferência dos galhos nos fios de alta tensão que provocavam quedas na rede elétrica, danificando equipamentos hospitalares essenciais ao atendimento dos pacientes.

Segundo o secretário de Meio Ambiente, Alexandre Kise, a remoção das árvores da calçada do hospital foi necessária. “Muitas pessoas estranharam a retirada das árvores, porém as remoções foram indispensáveis para que as pessoas com mobilidade reduzida pudessem transitar e acessar o hospital com mais segurança.”

Critérios de poda e remoção

Toda remoção de árvores de logradouros públicos no município de Guarulhos obedece aos critérios estabelecidos pela lei municipal 4.566/94, que autoriza a supressão quando o estado fitossanitário da árvore justificar; quando a árvore, ou parte desta, apresentar risco iminente de queda; quando estiver causando comprováveis danos ao patrimônio público, ou privado; quando constituir-se em obstáculo fisicamente incontornável ao acesso e à circulação de veículo ou pedestres, entre outros motivos.

Qualquer cidadão pode pedir a poda ou remoção de uma árvore, desde que o motivo da solicitação seja justificado dentro da lei. Basta dirigir-se à Central de Atendimento ao Cidadão – FÁCIL munido de documento de propriedade do imóvel. Uma poda mal realizada pode induzir ao desequilíbrio, com risco de queda; pode comprometer o estado fitossanitário da árvore, causando sua morte; além de facilitar o ataque de insetos e micro-organismos, provocando doenças e morte.

Fonte: Prefeitura