Medo de dentista: como controlar o medo da anestesia

259
Google Imagens
Google Imagens

*Prof. Dr. Tarley Pessoa de Barros, Ligia Hayasaki e Mickaelle Saraiva

Um dos maiores problemas da população em relação aos dentistas é o medo em especial da picada da anestesia. Desta forma vem se desenvolvendo diversas técnicas que buscam solucionar este assunto, como a utilização de medicamentos, óxido nitroso, hipnose entre outras. Tudo na busca de diminuir este desconforto.

É importante salientar que todas as possibilidades visam reduzir o medo e a ansiedade, mas na maioria das vezes a necessidade de anestesias continua para o combate a dor.

O sucesso da anestesia local é uma importante ferramenta na conquista da confiança do paciente. A falha nesse momento é um causador de estresse durante o tratamento, havendo assim necessidade de reaplicação e atenção do profissional para resolver este problema. Um conhecimento profundo do nervo trigêmeo e as estruturas inervadas por cada segmento dele é importante para a obtenção do sucesso.

Diante deste quadro o profissional consegue notar quando existe a necessidade de reaplicar a anestesia, na maioria das vezes por falha de técnica e conhecimento anatômico, causando a dor e desconforto para o paciente. Deve-se então preocupar-se para a prática de uma técnica segura e eficaz.

A tecnologia ajuda muito nesse processo. Um exemplo é o trabalho que desenvolvemos fundamental para a completa visualização do nervo trigêmeo responsável pela dor, proporcionando segurança e confiança para o profissional e paciente no momento da anestesia.

Uma maquete simuladora permite visualizar de forma clara, rápida, segura e didática a abrangência e distribuição do nervo trigêmeo, o que permite sua visualização por completo, facilitando o momento da aplicação anestésica. O sistema luminoso “light flex” é uma inovação no que tange a iluminação, assim podemos enxergar a inervação como um todo ou ainda apenas ramificações especificas.

O objetivo é poder visualizar a iluminação didática e conseguir fixar suas cores e a localização exata e bem definida da inervação na memória diminuindo os erros e necessidades de reaplicação da anestesia, de forma a facilitar o trabalho do cirurgião dentista e propiciar mais conforto ao paciente diminuindo seu o estresse.

Proporcionar mais conforto durante os procedimentos odontológicos significa estar atento as no¬vas técnicas para diminuir o medo e a ansiedade durante o tratamento. Dessa forma o dentista transmite mais conforto, segurança, profissionalismo e zelo com a saúde bucal de seu paciente.

*Prof. Dr. Tarley Pessoa de Barros, professor do curso de odontologia da Anhanguera UNIBAN Maria Cândida com apoio das alunas do curso, Ligia Hayasaki e Mickaelle Saraiva.