Aeroporto de Guarulhos inaugura a primeira máquina de vender óculos da Chilli Beans

127
Imagem Divulgação

A Chilli Beans, rede brasileira especializada em óculos escuros, inaugura amanhã (1/12), no aeroporto de Guarulhos (SP), sua primeira máquina de vender óculos. O produto utiliza o conceito de realidade aumentada para possibilitar que o cliente prove os óculos escuros antes de comprá-los. Uma tela de 32 polegadas captura e calcula todas as medidas do rosto do consumidor em apenas três segundos. Em seguida, o cliente escolhe os modelos que deseja projetar nessa imagem. A máquina comporta 40 modelos diferentes, com um total de 80 unidades por vending machine.

Mário Ponce Neto, diretor de expansão da Chilli Beans, conta que já tinha essa ideia há cinco anos, mas não achava solução para o problema da experimentação dos óculos. “Depois de uma palestra da National Retail Federation [NRF] sobre realidade aumentada, eu encontrei a solução para o desafio de reproduzir o rosto do cliente”, explica. Em visita a Nova York, em janeiro deste ano, ele notou máquinas da Apple vendendo iPods e acessórios nas estações de metrô. “Conversei com o pessoal da Apple e fiquei impressionado com os resultados”, afirma. Assim nasceu o projeto da máquina de vendas.

Para a execução, foram investidos R$ 60 mil para o desenvolvimento do software e mais R$ 40 mil para a robótica da máquina. O processo de produção durou de fevereiro a maio de 2010. Em 15 de dezembro, será inaugurada uma segunda máquina, na estação Faria Lima da linha amarela do metrô de São Paulo. “Depois de sentir o feedback do público, queremos abrir o negócio apenas para nossos franqueados, oferecendo a eles mais um canal de vendas fora da loja ou do quiosque que já administram”, afirma Ponce Neto. A rede ainda não estabeleceu valores para a compra da máquina.

Os óculos têm os mesmos preços das demais lojas da marca e podem ser pagos com cartões de débito e crédito. “Nosso foco é colocar a Chilli Beans no dia a dia do cliente, por isso estamos investindo em multicanais”, observa Ponce Neto. A empresa espera, em um prazo de dois anos, vender 100 unidades da máquina. Resorts, hotéis, academias, aeroportos e estações de metrô são os locais mais indicados como ponto comercial.

A marca Chilli Beans está no mercado desde outubro de 2000 e já começou as operações com o sistema de franquias. O tíquete médio da rede é de R$ 147 e, em 2010, foram vendidos cerca de 1,5 milhão de óculos escuros.

Fonte: Revista PEGN