Circuito Sesc de Artes no calçadão da D. Pedro. Participe!

86
Circuito Sesc de Artes
Imagem Divulgação

O calçadão da Rua D.Pedro, no centro de Guarulhos, recebe no dia 09/06, o Circuito SESC de Artes 2011, que trará ao município uma série de manifestações artísticas gratuitas. As apresentações de artemídia, artes visuais, circo, dança, literatura, performances, música e teatro terão início às 15h.

Programação

  • 15h00 – ARTES VISUAIS= Jogo Acervo SESC de Arte Brasileira – Câmera Ambulante
  • 15h00 – PERFORMANCE= “É crédito ou débito?”
  • 15h30 – CIRCO= “Uma surpresa para Benedita” – Grupo Trampulim (MG)
  • Este espetáculo apresenta uma leitura contemporânea da linguagem circense, sem perder a força e a simplicidade do circo tradicional. Com números clássicos de palhaço, jogos musicais e um repertório bem eclético, os palhaços Sabonete e Benedita utilizam a música como principal elemento para interagir com o público, e juntos formam uma grande e divertida orquestra musical. Com 17 anos de estrada, o Grupo Trampulim é um dos mais tradicionais grupos circenses de Minas Gerais. Duração: 60 mim.

  • 16h30 – LITERATURA= Canto a Canto – Cia. Teatral As Graças (SP)
  • Poesias e canções são sorteadas em uma caixinha e oferecidas ao público como um delicado presente nessa intervenção teatral. Criada em 1995, a Cia Teatral As Graças trabalha com espetáculos adultos e infantis. Duração: 90 min.

  • 17h00 – DANÇA= “O corpo é a mídia da Dança” – Vanilton Lakka (MG)
  • O projeto investiga a criação, a análise e a composição dos movimentos do corpo em diversas mídias além da própria cena, como o telefone, a internet e o flip book (gibi interativo). A dança é realizada em vários suportes e formatos, para que o público conheça e questione novas possibilidades. O artista Vanilton Lakka apresenta pontos de contato entre a dança de rua e contemporânea. Lakka é criador-interpréte premiado pela Associação Paulista de Críticos de Artes (2005) e atua com produção cultural, criação e pesquisa em dança desde 1991. Duração: 50 min.

  • 18h00 – Teatro= “Negrinho do Pastoreio” – Grupo Oigalê (RS)
  • A peça conta a história do lendário Negrinho do Pastoreio, escravo que é culpado pela perda de uma corrida de cavalos em que o seu senhor havia apostado muito dinheiro. Ele é cruelmente torturado até a morte e jogado moribundo em um formigueiro. Resgatado por Nossa Senhora, é conhecido desde então como protetor de quem tenha perdido algo. Para que ele ajude a achar, basta acender um toco de vela. Reza o folclore que, se ele não achar, ninguém mais acha. Fundado em 1999, o Grupo Oigalê desenvolve um trabalho específico para o teatro de rua e, além de apresentar espetáculos, realiza cortejos, intervenções cênicas e ministra oficinas. Duração: 45 min.

  • 19h00 – ARTEMÍDIA= Caixa Prego – EMBOLEX (SP)
  • 19h00 – ESPECIAL= Videorrepórter
  • Com a missão de descobrir quais são os hábitos culturais dos moradores da cidade por onde passa, um videorrepórter faz rápidas entrevistas sobre quais são as opções de cultura, lazer e entretenimento da região. Ao final do dia, esse material é editado e apresentado no telão do palco promovendo um encontro das respostas registradas com o público. Serão produzidos 88 documentários, um em cada cidade contemplada pelo Circuito SESC de Artes 2011.

    Obs.: participe= escreva seu twitt usando a hashtag #circuitosesc2011 ou suba seu vídeo no Youtube com as palavras-chave “circuitosesc” e “roteiro2”. É assim que seus vídeos e twitts serão compartilhados com tudo mais que acontece em Guarulhos.  Acessesescsp.org.br/circuito

  • 20h00 – MÚSICA= Orquestra Contemporânea de Olinda (PE)
  • Uma das bandas mais importantes da cena atual pernambucana, esta orquestra possui um trabalho que reflete as experimentações de uma produção musical que, desde os anos 90, mostra sua efervescência com o movimento mangue beat. O grupo relê sonoridades locais como o frevo, maracatu, coco e baião, misturados com grooves latinos, afro beats e ritmos eletrônicos. A riqueza experimental de seu trabalho está presente desde a formação pouco tradicional, que une baixo, guitarra e bateria com flauta, trombone, tuba e outros instrumentos extraídos das orquestras de frevo tradicionais, passando pelos arranjos diferenciados, carregados de sotaques, e constrói uma identidade própria e bem definida. Duração: 80min.