Saiba como pensam e agem algumas das profissionais mais bem-sucedidas do país e inspire-se!

93
29% das executivas pesquisadas abririam mão de um casamento pelo sucesso profissional Foto: Getty Images

Estar à frente de cargos prestigiados, ganhar mais de 14 mil reais por mês e se sentir realizada na vida pessoal e profissional. Este é o perfil das executivas mais poderosas das grandes empresas do Brasil, segundo pesquisa feita pela GFK para as revistas EXAME-VOCÊ S/A no início de 2010.

Inspire-se nestas executivas para decolar na carreira

Elas sabem conciliar trabalho e lazer

Entre as executivas entrevistadas, mais da metade se considera realizada na vida pessoal e profissional. As mais felizes são as casadas – 86% dizem estar realizadas. Em seguida aparecem as solteiras, com 81%, e depois as separadas que somam 78%.

Elas trabalham duro

Apesar da maioria se dizer satisfeita com o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, o trabalho é encarado com seriedade e elas estão dispostas a abrir mão de muitas coisas em nome do sucesso. Prova disto é que 59% das entrevistadas trabalhariam em finais de semana e feriados, enquanto 55% deixariam de estar com os amigos e 45% de ter férias.

Por outro lado, apenas 19% delas abririam mão de lado sua liberdade, enquanto 22% deixariam de estar com a família ou cuidar da saúde. E a vida matrimonial não fica distante: apenas 29% das executivas preferem o trabalho ao casamento ou um relacionamento sério.

Os dados mostram que, mesmo com foco na profissão, quando se trata de família ou amor, muitas executivas não estão dispostas a fazer concessões.

Onde as executivas gastam mais dinheiro

Os dados sobre gastos mensais mostram hábitos de consumo bem distribuídos entre necessidades diárias e planos para o futuro. A maioria das despesas está relacionada com a casa, com 29% do total, seguido de família, com 26%, e gastos pessoais, com 20%.

Já os investimentos financeiros tomam, em média, 25% do orçamento das executivas, o que demonstra precaução e planejamento em relação ao futuro.

Dicas de uma executiva de (muito) sucesso

A administradora de empresas Suzan Rivetti, 52 anos, tornou-se a primeira presidente mulher da filial da Johnson & Johnson no Brasil, à frente da unidade de consumo. Ela conta a seguir algumas das suas estratégias para chegar ao topo.

1. Busque sempre o melhor
“Nunca estou satisfeita, sempre acho que deveria estar fazendo mais, melhor ou diferente”.

2. Tenha um ou mais mentores
“A primeira pessoa que me inspirei foi meu pai. Todo dia ele almoçava em casa e contava histórias de trabalho. Sua satisfação me inspirava”.

3. Preste atenção nos outros
“As pessoas são a maior fonte de aprendizado. Adoro ouvi-las. O líder que acha que sabe tudo, que tem todas as respostas, perde oportunidade de ser um profissional melhor”.

Fonte: M de Mulher