Guarulhos ganha mais um serviço de saúde mental

37
Prefeitura

Pacientes com transtornos mentais graves e persistentes agora têm mais um serviço de saúde para realizar seu tratamento. O sétimo Centro de Atenção Psicossocial (Caps), inaugurado nesta quarta-feira (27) pelo prefeito Sebastião Almeida e pelo secretário de Saúde, Carlos Derman, na rua Rafael Colacioppo nº 80, no bairro do Bom Clima, funcionará das 7 às 19 horas no primeiro mês, passando a operar 24 horas por dia a partir de setembro próximo.

Além de demanda espontânea, o novo Caps atenderá casos referenciados das Unidades Básicas de Saúde (UBS), dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), das policlínicas e dos hospitais da região central da cidade, bem como do Taboão, Jardim Paraíso e Cocaia. Segundo a gerente do Caps Bom Clima, Karina Vieira, sua intenção é aprofundar o trabalho que já existem no âmbito de saúde mental no município.

Com médico psiquiatra, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, auxiliares de enfermagem, enfermeiros, farmacêutico, prático de farmácia, atendentes SUS e gerência, a unidade oferecerá cuidados intensivos, com a retaguarda de cinco leitos para atendimento integral (diurno e noturno).

“O atendimento 24 horas é uma forma de humanizar o acolhimento para pessoas que sofrem com transtornos psíquicos, que às vezes não têm cura”, destacou Eva Santos, coordenadora do Programa de Saúde Mental da Secretaria de Saúde.

Tratamento

O Caps Bom Clima conta com um consultório médico, duas salas de repouso, uma sala de acolhimento, outra de enfermagem, duas multifuncionais para atividades em grupo, recepção, farmácia e jardim, espaço que também será aproveitado para práticas terapêuticas.

Para o secretário de Saúde, Carlos Derman, a proximidade do Hospital Municipal de Urgências vai permitir que os pacientes atendidos na emergência psiquiátrica do hospital possam dar continuidade ao tratamento, com o acompanhamento, muitas vezes, do mesmo médico que o atendeu no momento de surto. “O tratamento precisa ter começo, meio e fim e o fim é a integração do paciente na sociedade e o restabelecimento de seu convívio com a família”, disse.

A missão do Caps é promover a inclusão social dos pacientes, por meio do exercício da cidadania e do acesso ao trabalho, ao lazer, à educação e à cultura, bem como pelo fortalecimento dos laços familiares e comunitários.

“É mais um passo importante que damos na área de Saúde Mental. O Brasil viveu por tantos anos um modelo ultrapassado, quando as pessoas defendiam os manicômios, onde as pessoas ficavam isoladas do convívio com a sociedade. Precisamos melhorar as relações entre as pessoas. Essa é a principal missão de um administrador”, destacou o prefeito Sebastião Almeida.

Fonte: Prefeitura