Projeto Ilhas Verdes planta mais de 30 mil árvores

64
Foto: Silvio Siqueira/PMG

Após dois anos de implantação do programa Ilhas Verdes, Guarulhos ganhou aproximadamente 30 mil árvores. Regulamentado por legislação municipal em agosto de 2009, o programa comemora nesta terça-feira (24) um ano de aprovação. A iniciativa foi reconhecida como exemplo de política pública de combate ao aquecimento global pela Unesco, que publicou um artigo sobre o programa em sua revista internacional veiculada na América Latina, na Espanha e no Chile.

A ação consiste na redução das ilhas de calor urbanas por intermédio da proteção e recuperação das florestas e do plantio de milhares de árvores. O Ilhas Verdes, inédito mundialmente, surgiu através de uma pesquisa sobre os mapas termais do município identificados via satélite pela Universidade de Guarulhos (UnG), com patrocínio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), e com o apoio da Secretaria de Meio Ambiente e da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde.

O programa visa equilibrar as condições climáticas da cidade, utilizando medidas de arborização nos locais com maior incidência de calor. A elevação da temperatura, segundo a pesquisa, deve-se ao avanço da urbanização, ao assoreamento dos rios, e ao aumento do número de indústrias.

Segundo o criador do programa e diretor da Secretaria de Meio Ambiente, Fábio Vieira, o Ilhas Verdes está se consolidando como exemplo de experiência ambiental bem-sucedida no cenário mundial. Já o diretor-geral do Instituto Florestal, Rodrigo Victor, enfatiza que a consolidação da lei é uma forma inovadora de orientar a arborização pelo critério do excesso de calor.  “A ação é um dos maiores exemplos práticos de política pública que utiliza o serviço ambiental de regulação climática para aumentar o bem-estar da população”, garante Victor.

FONTE: PMG