Passageiros poderão despachar as próprias malas em Guarulhos

57
aeroporto-de-guarulhos-despachar-malas
Aeroporto de Guarulhos (Imagem Divulgação)

Novo terminal, previsto para 2014, vai eliminar necessidade do viajante passar pelos balcões das empresas. Já para este ano, passageiros poderão etiquetar bagagem.

Os milhões de passageiros que passam anualmente pelo Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, deverão perder menos tempo para despachar bagagens. Segundo a concessionária do aeroporto, duas novidades estão previstas nesse sentido, uma delas para este ano.

Para maio de 2014, com a inauguração do terminal 3, os passageiros vão ter a opção de despachar a própria bagagem, eliminando a necessidade de passar pelo balcão da companhia aérea.

No novo terminal, os viajantes que desejarem poderão ir aos totens de autoatendimento para pesagem e despache as malas. No caso de excesso de peso, a multa será paga no mesmo instante, por cartão de crédito.

Uma vez terminado o processo, as bagagens seguem pelo sistema do próprio aeroporto e são enviadas para o voo do passageiro, tudo de maneira automatizada.

Etiquetagem

Outra novidade entrará em operação em agosto deste ano. A instalação de novos totens de autoatendimento permitirá aos passageiros etiquetar as próprias bagagens para reduzir o tempo nos balcões das companhias aéreas.

Segundo a concessionária, hoje os passageiros gastam entre dois minutos e meio e três minutos somente no balcão de atendimento. Com o uso do posto de automático, esse tempo será reduzido à metade. A fila, que hoje tende a demorar meia hora, também deve ter um tempo reduzido, embora esse cálculo ainda não tenha sido feito pela GRU Airport.

O balcão ainda existirá para quem não quiser utilizar o serviço, mas as pessoas que etiquetarem a bagagem sozinha terão apenas de seguir a áreas específicas para entregar as malas.

O sistema já é utilizado em aeroportos nos Estados Unidos e Europa.

O projeto deve ser colocado em prática em agosto em Cumbica. Serão cem postos eletrônicos compartilhados por todas as empresas aéreas. Os custos serão arcados pelo aeroporto e pelas companhias.

Via: Exame Abril